Pulgas-e-Carrapatos

A coceira em cães pode ser provocada por vários fatores e é um problema frequente – aflige pelo menos 40% dos animais que vão ao veterinário.

Com alguns cuidados, é possível combater diversas causas do prurido – termo técnico para designar coceira. Confira dicas de Alexandre Merlo, lembrando sempre que, se o seu cão apresentar sintomas de alergia, você deve procurar um médico veterinário:
1. Alimentos: carne bovina, frango e derivados do leite, entre outros alimentos, podem causar alergias intensas nos cães, sendo a coceira um dos principais sintomas. Em alguns casos, pode haver diarreia e até vômito. “Os tutores devem evitar oferecer aos cães alimentos não destinados a eles. Além das alergias, caracterizadas pela coceira, existem as chamadas intoxicações alimentares, em que se observam vômitos e diarreia com sangue – esses casos podem trazer complicações importantes, com necessidade de medicações injetáveis e até internações”, comenta o especialista.
2. Perfumes, xampus e produtos de limpeza: a composição de alguns desses produtos pode conter agentes alergênicos para os cães e causar irritação na pele, além de intoxicação. “Os tutores devem evitar o contato dos animais de estimação com os produtos de limpeza armazenados e também durante o seu uso em casa. Alguns deles podem causar dermatites de contato, queimaduras na pele e sintomas de intoxicação por inalação. Além disso, xampus inadequados e perfumes fortes também podem trazer riscos aos animais, por isso é importante conversar com o veterinário para saber quais são os melhores produtos para o banho e pós-banho do seu cão”.
3. Ácaros presentes na poeira: tapetes, cobertores, cortinas, sofás e camas – é vasta a lista de objetos que abrigam a poeira e os ácaros. “O pó pode causar alergias nos animais devido à presença de ácaros microscópicos, sendo a coceira um dos principais sintomas. Às vezes, o tutor acredita que a causa pode ser a picada de pulgas ou de outros parasitas, mas na verdade é um quadro alérgico que afetou a pele por causa de ácaros de poeira. Manter limpos os locais em que o cão permanece pode evitar esse mal. Muitas vezes, é necessário remover tapetes, carpetes e outros tecidos, para evitar a presença dos ácaros.
4. Pulgas e carrapatos: Alexandre recomenda cumprir a agenda regular de prevenção de parasitas externos para evitar o prurido.. “Mas, se as picadas de pulgas e carrapatos desencadearem um quadro alérgico no animal, procure um veterinário. Existem medicamentos que podem controlar a coceira até que os parasitas sejam eliminados”.
5. Pólen: assim como no ser humano, também pode causar alergia nos animais, por isso as flores devem ser evitadas nos ambientes com cães que têm alergia. Alexandre alerta que também é preciso tomar cuidado com as plantas em geral, pois dezenas delas, como “comigo-ninguém-pode” e azaléia, são tóxicas para os animais. Ao serem ingeridas, podem provocar vômitos e diarreia, entre outros sintomas.
Quando a causa é desconhecida
Em alguns casos, pode não ser tão fácil encontrar o agente causador da coceira alérgica. Para o cãozinho não sofrer até lá, a Zoetis tem a solução: Apoquel. “Diferente de todas as opções disponíveis no mercado, o Apoquel permitirá ao veterinário propiciar um alívio imediato da coceira, sem efeitos colaterais, enquanto se busca um diagnóstico mais preciso”, afirma Alexandre.
Ao perceber qualquer comportamento fora do comum do seu melhor amigo, como balançar a cabeça inúmeras vezes, coçar-se excessivamente ou, ainda, se ele apresentar feridas na pele, procure um médico veterinário, pois pode se tratar de alergia.